PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM

PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM
PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Mais um acidente aéreo é registrado no Brasil; helicóptero cai no Ceará

Mais um acidente aéreo foi registrado no Brasil, na manhã desta quinta-feira (30). Um helicóptero tombou ao se aproximar para pouso em um heliponto com seis pessoas a bordo em Guaramiranga, região de Fortaleza, Ceará. Três passageiros tiveram ferimentos leves e um homem teve a perna amputada. Eles foram conduzidos para o IJF (Instituto Dr. José Frota), em Fortaleza, onde são socorridos.
O presidente do grupo Marquise, engenheiro José Carlos Pontes, estava desembarcando da aeronave, quando esta tombou após sofrer forte rajada de vento. Naquele momento, a hélice do aparelho decepou sua perna. Apesar da gravidade dos ferimentos, Pontes não corre risco de morte.
Ainda nesta quinta-feira, Pontes se submeteria a uma cirurgia reparadora na perna amputada, em um hospital particular da capital cearense, para onde foi transferido após ser socorrido no IJF.
Segundo o Corpo de Bombeiros, o helicóptero tombou à esquerda durante o pouso no sítio Itagiba, zona rural da cidade, de propriedade do empresário.
As causas do acidente serão investigadas, mas a princípio seria uma fatalidade após uma forte rajada de vento no local.
A assessoria do Grupo Marquise divulgou uma nota sobre o acidente, horas após o ocorrido. Confira:
"O Grupo Marquise esclarece que, na manhã de hoje (30), o helicóptero que transportava o empresário José Carlos Pontes, controlador do grupo, tombou quando já se encontrava em solo, após o pouso, no município de Guaramiranga. Em decorrência do acidente, o empresário será submetido a uma cirurgia na perna, ainda nesta quinta-feira (30), mas não corre perigo de vida. Todos os demais ocupantes do helicóptero foram prontamente atendidos e também passam bem. Desde já, a família agradece a preocupação de toda a comunidade cearense".
jcnet

FAB simula interceptação de avião para Copa das Confederações, no Rio

Simulação de patrulhamento do espaço aéreo do Rio com o Maracanã ao fundo (Foto: Alba Valéria Mendonça/ G1)Aviões escoltam outra aeronave, com o Maracanã ao fundo (Foto: Alba Valéria Mendonça/ G1)
A  Força Aérea Brasileira (FAB) fez nesta quarta-feira (29) a simulação de como será uma abordagem a uma aeronave não identificada no espaço aéreo brasileiro nas capitais onde serão realizados os jogos da Copa das Confederações, em julho. Num voo que partiu do Aeroporto Santos Dumont, o avião do modelo Brasília C-97 foi interceptado no ar por dois caças F-5. A aeronave simulava estar com o transponder dessligado.
Ao detectar a entrada da aeronave no espaço aéreo,  a torre de controle entra em contato com o avião. Não obtendo resposta em três minutos, caças passam a escoltar a aeronave. Caso as determinações de utilização do espaço aéreo continuem sendo desrespeitadas, a aeronave é conduzida até uma área remota da Base Aérea de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, onde depois de pousar passará por rigorosa revista de tripulantes, passageiros e da própria aeronave.
FAB fez simulação nesta quarta-feira (29) no Rio (Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo)FAB fez simulação nesta quarta-feira (29) no Rio
(Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo)
Durante os jogos todo o espaço aéreo vai ficar restrito a partir do Aeroporto Santos Dumont e do Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão) num raio de 100 km. Somente aeronaves das forças de segurança e o helicóptero que vai filmar o estádio terão permissão para voar neste perímetro. Apesar das restrições, os voos comerciais tanto do Santos Dumont quanto do Tom Jobim não sofrerão qualquer tipo de alteração.
Nos dias de jogos,  o patrulhamento do espaço aéreo nas cidades-sede vai começar a ser feito uma hora antes da partida e até quatro horas após o término, com caças voando durante todo esse tempo. O treinamento para o patrulhamento aéreo começou a ser feito em outubro de 2012.
Coroneís durante coletiva da FAB (Foto: Renata Soares/G1)Coronéis durante coletiva (Foto: Renata Soares/G1)
O planejamento da FAB para o controle do espaço aéreo e as ações de defesa durante a Copa das Confederações foi divulgado nesta quarta. As informações foram transmitidas durante coletiva no Departamento de Controle do Espaço Aérea (DECEA), no Centro.
De acordo com os critérios de segurança, que também servirão para outros eventos como Jornada Mundial da Juventude, Copa do Mundo e Olimpíadas, a FAB vai operar com áreas de exclusão (reservada, restrita e proibida) em determinadas porções do espaço aéreo com tamanhos e níveis de acessos diferentes. As regras também valem para outros estados.
Para o coronel Ary Rodrigues, chefe do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea, desta maneira, a segurança do público, dos atletas, das autoridades e dos participantes em geral, será tranquila.
"Estamos aqui para garantir a segurança do espaço aéreo e logo, das pessoas envolvidas nesse evento. Com as aeronovaes, a FAB irá monitorar o impacto ambiental e também a localização. Esperamos realmente que tenhamos um evento calmo e sem maiores problemas", disse.
O coronel explicou ainda que as áreas de exclusão serão separadas por cor. A reservada será branca, a restrita será marcada pela cor amarela e a proibida, vermelha. "Nosso objetivo é denominar a área no entorno do estádio do Maracanã com este planejamento minucioso. Temos 2.600 controladores com120 horas de voo para que tenhamos um bom desempenho", explicou.
Na simulação, caças escoltam aeronave que invadiu espaço aéreo restrito até a Base Aérea de Santa Cruz (Foto: Alba Valéria Mendonça/ G1)Na simulação, caças escoltam aeronave que invadiu espaço aéreo restrito até a Base Aérea de Santa Cruz (Foto: Alba Valéria Mendonça/ G1)
Aeronaves
Durante o evento, a  FAB também vai contar com nove aeronaves que irão monitorar a cidade. São elas: duas F5 (alta performace), duas Super Tucano, dois helicópteros, uma Eco 99, uma de abastecimento e uma F5 extra que ficará em alerta na base de Santa Cruz, na Zona Oeste.
"As medidas de segurança serão adotadas durante os eventos em todos os estados", concluiu o coronel Ary Rodrigues Bertolino.
G1

Companhias aéreas do mundo inteiro anunciam voos extras ao Rio de Janeiro durante a Jornada Mundial da Juventude

Image Alternative Text

© Virginia CASTRO/CIRIC/CPP

Com uma população atual de 201 milhões de pessoas, o Brasil representa o gigante do sul do continente americano, e uma das economias emergentes mais desenvolvidas da última década.

Deste grande total de habitantes, e com uma taxa média anual de 897 mil pessoas, o Brasil é considerado o país com o maior número de católicos do mundo. Segundo estimativas recentes, 74% da população brasileira se declara católica: cerca de 150 milhões de pessoas, a maior parte composta por jovens.

Isso tudo faz prever que a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de 2013 será a mais visitada de todas (com exceção de Manila, em 1995), também pelo imenso prestígio adquirido pelo Papa Francisco sobre os jovens do mundo inteiro.

Cálculos preliminares já falam de dois milhões e meio de visitantes, ou seja, um milhão a mais de jovens, em comparação com a JMJ realizada em Madri, da última vez.

Cabe recordar que a JMJ do Rio de Janeiro será realizada um ano antes do previsto, já que em 2014 se montará o espetáculo por excelência dos brasileiros, a Copa do Mundo, e, em 2016, as Olimpíadas.

Certamente, a JMJ atrairá muito mais gente que estes eventos esportivos, traduzidos em milhões de dólares para empresas de comunicação e país organizador.

Do Líbano à Angola, as delegações juvenis do mundo inteiro já se alistam para viajar ao Rio de Janeiro; tanto é assim que foi anunciada a abertura de voos extraordinários, que chegarão ao Brasil entre 15 de julho e 4 de agosto deste ano.

A comissão organizadora da JMJ do Rio informou que já estão autorizados a operar 149 voos extras e charters. A autorização foi concedida pela ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil).

Entre as companhia aéreas com voos já autorizados, encontram-se: TAM Linhas Aéreas S/A, VRG Linhas Aéreas S/A, Aerolínea Principal S.A., Andes Líneas Aéreas S.A., Trans American Airlines-Taca Peru, Aerolíneas Argentinas, American Airlines INC, Copa – Compañía Panameña de Aviación S.A..

Só a TAM confirmou que terá 63 voos extraordinários durante os dias da Jornada. Azul solicitou outras 44 operações extras à ANAC, mas ainda não houve confirmação.

Os voos acrescentados ao calendário da TAM serão operados entre 18 de julho e 1º de agosto. A companhia terá frequências adicionais que unirão as cidades do Rio de Janeiro a Brasília, Curitiba, Vitória, Salvador, Fortaleza, Manaus, Porto Alegre, Belo Horizonte/Confins, Belém, Maceió, Natal e São Paulo/Guarulhos.
ALETÉIA

Avianca dá fim à Taca e à Aerogal, apresenta nova pintura e quer ser a melhor do mundo



Qatar, Singapore, Etihad e Emirates que se cuidem, a Avianca quer se tornar a melhor companhia aérea do mundo. A colombiana unificou hoje as marcas do grupo e pôs fim às companhias Taca, Aerogal e Tampa Cargo. Também apresentou uma nova identidade visual para seus aviões, que segundo ela simboliza a união da imagem da Avianca com a destas companhias, que deixam hoje de existir. A mudança foi antecipada pelo Melhores Destinos no ano passado e é parte da estratégia da companhia para concorrer com a Latam no continente.

Avianca

Durante a apresentação da nova marca, o presidente da Avianca, German Efromovich, afirmou que a companhia já é a melhor da América Latina e que o próximo passo é ser a melhor do mundo. Ele lembrou que assumiu o controle da aérea em 10 de dezembro de 2004 com uma frota antiga e 5 mil colaboradores.  “Na época disse que seríamos a melhor do continente em dez anos. Mentimos, porque conseguimos isso com 17 meses de antecedência”, afirmou o executivo ao site Mercado&Eventos.
Efromovich falou ainda sobre a concorrência com a Latam na América Latina. Segundo ele, a “briga” entre as duas empresas é saudável, uma vez que ambas são inteligentes e isso é muito bom para o mercado e para os passageiros.
image001
Além da nova marca, a Avianca apresentou um novo slogan “Excelência Latina”, reforçando a identidade com o continente. Os números da nova Avianca impressionam. A nova marca estará presente em mais de 160 aviões, 14 mil assentos, 100 aeroportos e mais de 20 salas VIP em 25 países, com um total de mais de 5.100 voos semanais e mais de 23 milhões de passageiros transportados por ano. Até o fim da década, a companhia pretende investir até  US$ 5 bilhões na aquisição mais 100 aeronave, incluindo 15 Boeing 787 Dreamliner.
Skaeligrmbillede2013-03-13kl175034_zpse0ddb38c

Avianca Brasil
A Avianca Brasil, que não é parte do Grupo Avianca mas pertence aos mesmos proprietários, deve manter a antiga identidade pelo menos por enquanto. Efromovich afirmou que a companhia brasileira não vai entrar em guerra tarifária e lembrou que a TAM e a GOL estão diminuindo oferta nos últimos meses. “Não queremos share, mas rentabilidade. Em 2012 a Avianca Brasil não perdeu dinheiro e no primeiro trimestre deste ano tivemos lucro”, contou ao Mercado e Eventos.
Avianca
Ele também confirmou a informação publicada pelo Melhores Destinos, que o programa de passageiros Amigo deve ser incorporado ao programa internacional LifeMiles, mas preferiu não dar um prazo para que isso ocorra. “Estamos estudando isso. Não será em um futuro imediato, mas vai acontecer”, garantiu.
Segundo o vice-presidente de Marketing da Avianca Brasil, Tarcísio Gargioni, a adoção da nova imagem pela companhia brasileira é inevitável. “Hoje o grupo inicia um novo processo com a incorporação de uma nova imagem. Mas ainda não está definido um cronograma para aplicação da imagem em outros países ou companhias”, comentou.
A Taca tinha sede na América Central e foi fundada há 82 anos. A fusão entre as companhias ocorreu em 2009, quando a nova empresa passou a chamar-se AviancaTaca.

MELHORES DESTINOS

Gol evita multa no caso Webjet

A Gol (VRG Linhas Aéreas) conseguiu, em recurso à Corregedoria da Justiça do Trabalho, a suspensão da decisão judicial que a obrigava ao pagamento de uma multa de aproximadamente 4,6 milhões de reais em função das demissões ocorridas na Webjet.
A decisão do Corregedor Geral, Ives Gandra Martins Filho, não anula a decisão na ação civil pública movida na 23º Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, mas libera a empresa para o pagamento da multa apenas quando a ação transitar em julgado.
Na prática, a decisão do Corregedor, torna nula a capacidade de exigir o cumprimento da ordem juducial. Dessa forma, a empresa deve seguir sem pagar mais os salário dos tripulantes da Webjet, que haviam sido reintegrados e novamente demitidos.
Na opinião dos dirigentes, a decisão é absurda, pois o que está em discussão são valores de alimentos, ou seja salários. E com esta decisão, os trabalhadores não têm como cobrar o cumprimento da ordem judicial que obriga a empresa ao pagamento dos salários.

Como se trata de uma ação civil pública de iniciativa do Ministério Público do Trabalho-RJ (MPT), o Sindicato não é parte, não podendo assim apresentar petições no processo, mas esta dando todo o auxílio aos Procuradores do MPT, que devem recorrer da decisão.
SNA

Falso oficial da aeronáutica é preso no Centro


Dalgio foi preso trajando farda e com documentação falsa

Foi preso hoje por volta das 17 horas, por policiais da 90ª Delegacia de Polícia, liderados pelo delegado-adjunto Michel Floroschk, um homem que se passava por tenente coronel aviador da Aeronáutica, no Centro da cidade.
Dalgio Luis Lago, de 47 anos que se encontrava totalmente fardado, foi abordado na Avenida Joaquim Leite, dentro de um veiculo, modelo Fox e convidado a comparecer a 90ª DP para esclarecimentos. Na delegacia foi constatado que na verdade ele não era oficial e que sua documentação da aeronáutica era falsa. O que chama a atenção é que Dalgio possuía crachá e autorização de transito do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência.
Apesar da documentação falsa, Dalgio usava o próprio nome, ele apenas havia falsificado a documentação militar, sendo que ele é morador da cidade de Bananal, no estado de São Paulo. Dentro do carro do falso oficial havia, além da autorização de transito, um giroflex e um facão no porta malas. Na delegacia ele ainda tentou manter a farsa, afirmando que já havia sido fuzileiro e que não sabia o motivo que estava sendo preso.
Até o fechamento dessa edição, o delegado Floroschk estava analisando o caso.

A VOZ DA CIDADE

Helicópteros para o Papa no Brasil

O helicóptero AS332 usado pelo GTE será usado pelo Papa durante os deslocamentos pelo Brasil.
O helicóptero AS332 usado pelo GTE será usado pelo Papa durante os deslocamentos pelo Brasil. (Fonte: GTE / Helibras)
Conforme anunciado pelo chefe do Estado-Maior da Defesa, general De Nardi, o Papa Francisco vai utilizar quatro helicópteros militares, durante sua viagem ao Brasil para participar da Jornada Mundial da Juventude, que será realizada de 23 a 28 de julho, no Rio de Janeiro.
Serão dois helicópteros da Força Aérea Brasileira, um do Exército e outro da Marinha, todos produzidos pela Helibras/Eurocopter, como o AS332 Super Puma da foto acima.

CAVOK

Avianca mudando para conquistar você


aviancauniformes

quarta-feira, 29 de maio de 2013

T-27 Tucano faz último voo pela Esquadrilha da Fumaça

EDA_T-27
O PAMA-LS recebeu as últimas duas unidades utilizadas pela Fumaça. A entrega encerra um capítulo da história do projeto que foi um marco na indústria aeroespacial e na aviação militar brasileira.
A aeronave T-27 Tucano está em operação na Esquadrilha da Fumaça desde 1983. De lá para cá, realizou apresentações pelo Brasil e pelo mundo e inspirou diversas gerações.
No dia 28 de maio, o Parque de Material Aeronáutica de Lagoa Santa (PAMA-LS), em Minas Gerais, recebeu as últimas duas unidades utilizadas pela Fumaça. A entrega encerra um capítulo da história do projeto que foi um marco na indústria aeroespacial e na aviação militar brasileira.
“Representa o final de uma era de quase trinta anos. Me recordo de cada uma das 150 apresentações que fiz no Brasil e pela América do Sul. Não tem como não se emocionar em ver a missão cumprida pelo avião”, disse o Major Aviador Álvaro Escobar, piloto da Esquadrilha.
“É um orgulho terminar a entrega da frota T-27 Tucano após trinta anos de operação. O T-27 na Fumaça foi um sucesso. O papel do PAMA-LS foi muito importante na manutenção da aeronave”, declarou o Tenente-Coronel Aviador Marcelo Gobett, comandante da Esquadrilha.
A Esquadrilha da Fumaça durante apresentação sobre Porto Alegre/RS. (Foto: Giordani)
A Esquadrilha da Fumaça durante apresentação sobre Porto Alegre/RS. (Foto: Giordani)
O T-27 voou mais de 85 mil horas na Esquadrilha, sempre sob gerência do PAMA-LS. A partir do segundo semestre deste ano, a Fumaça irá se apresentar com o caça A-29 Super Tucano. “O nosso Parque está orgulhoso em saber que a Fumaça muda a sua plataforma e continua sendo cliente do PAMA-LS. Apoiamos durante três décadas e continuaremos a apoiar”, disse o Coronel Aviador Adalberto Gomes, Diretor do PAMA-LS.
A entrega da aeronave. (Imagem: FAB/SgtºDomingos)
A entrega da aeronave. (Imagem: FAB/SgtºDomingos)
“A aeronave ainda não é um ‘pássaro extinto’ nos céus brasileiros e seguirá operando na FAB por muito tempo, dedicada à instrução dos novos pilotos na Academia da Força Aérea”, afirmou o Capitão Aviado Alvim, gerente do projeto T-27.
CAVOK

Barcelona reserva avião particular para levar Neymar à Espanha


A equipe que trabalha com Neymar confirmou ao UOL Esporte que o jogador viaja para a Espanha no domingo, logo após o amistoso entre Brasil e Inglaterra, no Maracanã. Um jato particular, reservado pelo clube espanhol, levará o atacante.
A CBF havia liberado Neymar para ir ao seu novo clube em um dos seus dias de folga na seleção. Na Espanha, o atacante passará por exames médicos no Barcelona e participará de uma sessão de fotos.
Neymar será apresentado à torcida do Barcelona na segunda-feira. Logo após a cerimônia, o jogador retorna ao Brasil no mesmo dia e se reencontra com seus colegas na equipe canarinho.
FATIMA NEWS

Leilão dos aeroportos do Galeão e de Confins será em outubro, diz governo

Executivo espera arrecadar ao menos R$ 6,2 bilhões com concessões.
Lance mínimo para leilão do aeroporto do Rio será de R$ 4,65 bilhões.


Área de desembarque e check-in do Aeroporto de Confins (Foto: Divulgação/Infraero)Área de desembarque e check-in do Aeroporto de
Confins (Foto: Divulgação/Infraero)
O ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Moreira Franco, anunciou nesta quarta-feira (29) que o leilão de concessão à iniciativa privada dos aeroportos do Galeão, no Rio de Janeiro, e de Confins, em Minas Gerais, irá ocorrer em 30 de outubro. A expectativa do Executivo é arrecadar, no mínimo, R$ 6,21 bilhões com a privatização das duas estruturas aeroportuárias: R$ 4,65 bilhões com o aeroporto fluminense e R$ 1,56 bilhão com o mineiro.
As regras do edital de licitação, que será publicado em setembro pelo governo federal, foram divulgadas após reunião deliberativa da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), em Brasília. Moreira Franco afirmou que o prazo de concessão para o aeroporto do Galeão será de 25 anos e para o de Confins de 30 anos. Os dois contratos, enfatizou o governo, poderão ser prorrogados por até 5 anos, por uma única vez.
“É uma nova fase não só para esses aeroportos, como para a infraestrutura aeroportuária do Brasil. Vamos ter um novo tempo, no qual tudo o que há de mais moderno em termos de operação aeroportuária vai conviver com os usuários do sistemas. Os passageiros, a partir de agora, poderão crescentemente vir a ter um sistema de serviços à altura dos melhores aeroportos do mundo”, ressaltou o ministro da Aviação Civil.
  •  
Vista aérea do Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, o Galeão (Foto: Divulgação/Infraero)Vista aérea do Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, o Galeão (Foto: Divulgação/Infraero)
O governo decidiu manter o modelo do leilão anterior, realizado em 2012, em que foram concedidos os aeroportos de Guarulhos, Campinas e Brasília. Isso significa que a Infraero será sócia minoritária em uma sociedade que vai administrar o aeroporto. O controle será do consórcio que vencer a licitação, que terá 51% de participação no negócio.
O Executivo, contudo, tornou um pouco mais rígidas as regras para participação no leilão. O consórcio interessado deverá contar com a participação de pelo menos uma empresa com experiência na operação de aeroportos com movimentação de pelo menos 35 milhões de passageiros por ano.
No leilão anterior, a regra previa experiência em aeroportos que movimentam 5 milhões de passageiros por ano. O governo espera, com isso, atrair para o país as empresas que operam alguns dos maiores e mais eficientes terminais do mundo. As empresas aéreas que atuam no território brasileiro também poderão concorrer na licitação, desde que a soma de suas participações no consórcio não ultrapasse 4%.
Outra mudança colocada nesta segunda rodada de concessão de aeroportos é que o operador aeroportuário deverá ter pelo menos 25% de participação acionária no consórcio que vai disputar o leilão de Galeão e Confins.
Vista aérea do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins (MG) (Foto: Divulgação/Infraero)Vista aérea do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins (MG) (Foto: Divulgação/Infraero)
O ministro da Aviação Civil também apresentou as previsões de aumento de passageiros nos dois terminais aeroportuários com as privatizações. De acordo com os cálculos do governo, nos próximos 25 anos, a circulação de passageiros no aeroporto do Galeão deverá passar dos atuais 17 milhões para 60 milhões por ano. O estudo do governo considera uma média de aumento anual da demanda de usuários de 4,9%.
No aeroporto de Minas, o ministério estima que a circulação anual irá saltar de 10,4 milhões para 43,3 milhões de pessoas nas próximas três décadas, média de crescimento de 4,7% por ano.
Antes de publicar o edital, a Anac e o ministério irão promover audiências públicas para coletar sugestões para o processo licitatório. Durante todo o mês de junho, o governo disponibilizará um espaço na internet para receber as contribuições.
Além disso, será promovida uma audiência pública presencial em cada uma das cidades que sediam os aeroportos. O evento para debater a privatização de Confins ocorrerá em 17 de junho e o da capital fluminense no dia 18 de junho.
O secretário-executivo da Secretaria, Guilherme Ramalho, assegurou que as atuais tarifas de embarque terão seus preços mantidos no valor de R$ 21,57 até a transferência das operações para as concessionárias vencedoras da licitação. Após esse período, passarão a valer os valores previstos no contrato de concessão, que tem como base os valores praticados nos aeroportos já concedidos (Brasília, Viracopos e Guarulhos). Atualmente, a tarifa de embarque nesses aeroportos é de R$ 21,13 e a de conexão é de R$ 7,16.

Investimentos
A atual infraestrutura aeroportuária do país foi criticada pelo ministro da Aviação Civil. Para Moreira Franco, é preciso “mudar tudo” nos dois aeroportos que serão licitados para a iniciativa privada.  O integrante do primeiro escalão do governo Dilma Rousseff avaliou que, atualmente, os passageiros brasileiros não são tratados como “clientes”.
“Tem que mudar tudo. A primeira mudança que me parece fundamental é que o passageiro seja tratado como cliente. Ele paga e merece qualidade de serviço, preço e segurança”, reclamou.
Moreira Franco disse ainda que os problemas operacionais que “atormentam” a vida dos usuários dos aeroportos do Rio e de Minas tendem a ser eliminados com o uso de tecnologia.
“A tendência é que eles [os problemas operacionais] possam ser resolvidos e melhorados com uma tecnologia que tem garantido a vários aeroportos do mundo, com uma circulação de passageiros muito maior do que a nossa, um serviço de qualidade. É isso que vamos ter, posso garantir que as coisas vão mudar”, prometeu o ministro.
Para tentar solucionar as deficiências de infraestrutura do Galeão e de Confins o governo pretende exigir investimentos bilionários nos dois aeroportos. Conforme os estudos de viabilidade produzidos para a licitação, os consórcios que passarem a administrar os dois terminais terão de injetar aproximadamente R$ 8,7 bilhões durante a vigência dos contratos. Desse montante, cerca de R$ 5,2 bilhões serão reservados para a estrutura aeroportuária fluminense e outros R$ 3,5 bilhões para a mineira.
No momento em que assumirem as concessões, as empresas vencedoras da licitação deverão executar uma série de obras para atenuar as deficiências dos terminais. No Galeão, por exemplo, será exigido em contrato, até 2016, a construção de 26 pontes de embarques, a ampliação do pátio de aeronaves e a adequação das instalações para armazenamento de carga, essa última medida já visando os Jogos Olímpicos do Rio.
Em Confins, o futuro concessionário terá até 2016 para construir um novo terminal de passageiros com, pelo menos, 14 pontes de embarque e ampliar o pátio de aeronaves. 
De acordo com a Anac, após essas primeiras obras, as futuras modernizações nos dois terminais aeroportuários irão se dar por meio do mecanismo de gatilhos de investimento, que são disparados conforme o crescimento da demanda do aeroporto ao longo do tempo.
G1
.

Setor aéreo confia em crescimento perto de 3% do PIB

De acordo com o presidente da Abear, Eduardo Sanovicz, tal crescimento se dará pelo enfrentamento das demandas do país em infraestrutura e redução da carga tributária.

São Paulo - O setor aéreo confia em uma aceleração do crescimento da economia nos próximos trimestres que levem a um resultado perto de 3% de alta do Produto Interno Bruto (PIB) no final do ano.
De acordo com o presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), Eduardo Sanovicz, tal crescimento se dará pelo enfrentamento das demandas do País em infraestrutura e redução da carga tributária.
"A economia está sustentada na manutenção do emprego e dos salários e se essa base seguir em crescimento, o desafio será, cada vez mais, fornecer produtos e serviços", disse Sanovicz ao Broadcast.
Em relação ao setor aéreo, o presidente da Abear mencionou duas demandas: desoneração da produção e revisão de políticas que tiram
competitividade do setor, como os preços do querosene de aviação.
Sanovicz explicou que o setor aéreo sofre reflexos diretos do desempenho da atividade econômica brasileira pois, em média, 75% dos passageiros viajam por conta de trabalho e eventos de negócios. No caso de o PIB do Brasil encerrar 2013 com alta de 3% ante o ano passado, a indústria aérea crescerá em torno de 7,5%.
Sobre o crescimento de 0,6% do PIB no primeiro trimestre deste ano, ante o quarto período de 2012, ele disse que, para atender as demandas do País, o crescimento deveria ter ficado próximo de 0,9%. "O gosto de ver resultados baixos é meio amargo", concluiu.
EXAME

Etihad adia operação diária entre SP e Abu Dhabi

A Etihad, que começa a voar para o Brasil no próximo dia 1º, terá apenas três frequências semanais até outubro, segundo comunicado pela companhia. Anteriormente, a empresa aérea havia anunciado voos diários a partir de julho. Com a mudança, a operação entre São Paulo e Abu Dhabi será realizada às terças-feiras, quintas e sábados, com saída do voo EY190 do Aeroporto de Guarulhos às 18h20 e chegada em Abu Dhabi às 16h05 do dia seguinte. O retorno ocorre no EY191, com saída de Abu Dhabi às 8h30 e pouso em Guarulhos às 16h35. 

Segundo comunicado da companhia aérea, os passageiros com bilhetes emitidos que desejarem cancelar a viagem serão reembolsados integralmente. Quem preferir remarcar a viagem em data alternativa pode fazer isso para um voo disponível para o mesmo destino tendo até 30 dias do dia marcado originalmente para a partida do voo de/para São Paulo, na mesma classe reservada, sem nenhuma cobrança adicional, podendo ser prolongada a validade do bilhete aéreo, caso necessário.

“As taxas de remarcações, reemissões, cancelamentos e todas as taxas de serviços associadas serão dispensadas para os clientes com bilhetes emitidos para viagens até 26 de outubro de 2013”, diz o comunicado. O documento diz ainda que a Etihad pretende aumentar a frequência para voso diários ainda neste ano. O contato da companhia aérea para agentes de viagens é o 4700-2222, sendo ligação local para São Paulo, Curitiba e Rio de Janeiro, e o mesmo número, acrescido do prefixo 11, para as demais localidades do País. 
PANROTAS

Entrada em Congonhas aumenta valor da Azul em IPO

Avião da Azul com propaganda da Wizard
A Azul registrou na última sexta-feira (24) o seu pedido de abertura de capital à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o primeiro passo para a realização do IPO, estimado em cerca de R$ 1 bilhão
São Paulo - A empresa aérea Azul chegará à Bolsa de Valores com preço maior se as mudanças na regulação do setor aéreo que estão em estudo no governo forem aprovadas antes de sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), afirmaram à reportagem quatro fontes do setor.
A companhia registrou na última sexta-feira (24) o seu pedido de abertura de capital à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o primeiro passo para a realização do IPO, estimado em cerca de R$ 1 bilhão.
O governo encerrou em março uma consulta pública para alterar as regras de distribuição de slots (horários de pouso e decolagem) no Aeroporto de Congonhas, que prevê basicamente a abertura do espaço para novas companhias aéreas, principalmente a Azul.
A versão final do documento deve ser divulgada até o fim de junho, informaram na semana passada representantes do governo ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado.
“Os investidores compram ações de olho em uma promessa futura de resultado. Com espaço em Congonhas e com o plano de aviação regional do governo, a perspectiva de resultado da empresa é muito melhor”, diz uma fonte de mercado.
A entrada em Congonhas adiciona valor à Azul porque lhe dá acesso ao mercado mais rentável do País, onde as companhias aéreas conseguem cobrar as maiores tarifas, explica o professor de transporte aéreo da USP, Jorge Leal Medeiros. “É o filé mignon do mercado doméstico”, explicou.
Apesar de admitir que o IPO da empresa tende a ser mais rentável com a entrada da Azul em Congonhas, uma fonte próxima a operação diz que o IPO não está atrelado às mudanças regulatórias do setor aéreo. “Os ganhos não dependem disso, mas certamente dará um ‘plus’ no valor das ações.”
EXAME

Avião cai sobre casas na Zona Norte de Sorocaba, SP

Acidente foi na tarde desta quarta-feira (29).
Corpo de Bombeiros confirmou duas mortes no acidente.


Avião cai sobre casas na Zona Norte em Sorocaba (Foto: Divulgação/Júlio Leite)Avião cai sobre casas na Zona Norte em Sorocaba (Foto: Arquivo Pessoal/Júlio Leite)
Um avião de pequeno porte caiu no bairro São Guilherme, Zona Norte de Sorocaba(SP), na tarde desta quarta-feira (29). Segundo o Corpo de Bombeiros, duas pessoas morreram no acidente, o piloto e co-piloto. Ainda de acordo com o Corpo de Bombeiros, o avião atingiu duas árvores e caiu sobre duas casas do bairro.
Além dos bombeiros, Polícia Militar, helicóptero Águia, Guarda Civil Municipal e Samu foram ao local. As autoridades ainda não têm informações sobre a causa do acidente.
Um morador do bairro registrou o acidente, momentos depois do impacto, quando a aeronave ainda estava em chamas. (veja o vídeo ao lado)
Arte - Queda de avião em Sorocaba (Foto: Reprodução/G1)
Segundo a assessoria de imprensa da Força Aérea Brasileira (FAB), o avião envolvido no acidente era uma aeranove experimental. Ainda de acordo com a FAB, aviões deste tipo não precisam passar por investigação após acidentes, mas o órgão não descarta a possibilidade.
Moradores relataram às autoridades que viram o momento em que a aeronave rodopiou no ar, e que houve a tentativa de pousar em um terreno baldio que fica ao lado de onde caiu. O dono de uma das residências onde o avião caiu informou que não havia ninguém no local no momento da queda.
Em nota, o Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp) informa que "um avião anfíbio, que saiu do aeroporto de Sorocaba, às 15h26, com destino a Jundiaí (SP) caiu logo após a decolagem no bairro de São Guilherme, zona Norte de Sorocaba. A investigação das causas do acidente será realizada pela Aeronáutica".
Avião cai sobre casas na Zona Norte em Sorocaba (Foto: Divulgação/Júlio Leite)Avião cai sobre casas na Zona Norte em Sorocaba (Foto: Arquivo Pessoal/Júlio Leite)G1

VASP- Empresa obtém prazo maior para recuperação judicial


Em um pedido incomum, a Agropecuária Vale do Araguaia, pertencente ao empresário Wagner Canhedo, ex-controlador da Vasp, conseguiu na Justiça a prorrogação por mais dois anos de sua recuperação judicial, sem que haja previsão explícita em lei. A decisão do juiz Edilson Enedino das Chagas, da Vara de Falências e Recuperações Judiciais do Distrito Federal, foi publicada ontem no Diário Oficial.
A Agropecuária Vale do Araguaia, segundo o processo, teve o pedido de recuperação concedido em 4 de fevereiro de 2010. O processo deveria terminar em 4 de fevereiro de 2012. Com a decisão, foi prorrogado para 2014.
De acordo com o magistrado, apesar da inexistência de previsão expressa para a extensão, o prazo fixado no artigo 61 da Lei de Recuperação Judicial (nº 11.101, de 2005) de até dois anos “não deve ser obstáculo intransponível para a prorrogação”. Segundo o juiz, este pode ser flexionado pela cláusula geral do caput do artigo 50 da mesma norma, que prevê a elasticidade do prazo. “Portanto, razoável, diante das peculiaridades do caso concreto.”
A defesa da Agropecuária Vale do Araguaia alegou no pedido de prorrogação que um período maior seria necessário para a continuação de suas atividades, além de essencial para liquidar e pagar créditos de sentenças que ainda estão em sede de impugnações ou habilitações. No processo, a empresa usou como base legal a prorrogação que era permitida na concordata, de acordo com o Decreto Lei nº 7.661, de 1945.
Segundo a decisão, “por falta de amparo legal, não se poderia recusar a recuperação judicial ao devedor empresário que, visando prevenir a crise, diante de fatos futuros que se avizinhassem, requere-se o remédio preventivo legal”. Do mesmo modo, segundo o juiz, “não se pode, sob esse pretexto (e serem fatores externos e futuros), negar a prorrogação a quem teria direito à concessão”.
Ainda ressalta que com a recuperação prorrogada, ela durará somente mais nove meses. ” Nesse lapso, os trabalhadores da recuperanda continuarão empregados, os fornecedores e consumidores dela manterão a atividade empresarial, o Fisco receberá seus tributos e os credores que aqui vierem continuarão a receber seus créditos”, diz o juiz na decisão.
O magistrado ainda considerou desnecessária a convocação de nova assembleia de credores, já que o plano estaria sendo cumprido, ainda que o tempo tenha sido extrapolado. E mandou expedir ofícios aos juízos que tenham determinado a constrição de bens da empresa, recomendando a revogação da medida. Estabeleceu ainda um prazo de 15 dias para que seja elaborado um cronograma de pagamentos pendentes.
O Ministério Público da União foi inicialmente favorável à prorrogação. Depois, porém, emitiu parecer contrário. Para o órgão, a prorrogação seria possível se a empresa tivesse comprovado que ainda enfrenta uma crise financeira. O órgão afirma no parecer que o pedido de prorrogação seria uma espécie de manobra jurídica para evitar a constrição de bens que seriam direcionados aos ex-trabalhadores da Vasp.
A companhia aérea teve a falência decretada em setembro de 2008 e deve cerca de R$ 1 bilhão aos ex-funcionários.
Pertencem à Agropecuária Vale do Araguaia, a Fazenda Piratininga e a Fazenda Santa Luzia, que estão envolvidas há anos em um embate judicial para que sejam definitivamente transferidas aos ex-trabalhadores da Vasp.
Para o advogado do Sindicato dos Aeroviários do Estado de São Paulo, Carlos Duque Estrada, essa seria mais uma estratégia da defesa de Canhedo para não liberar as fazendas Piratininga e Santa Luzia aos trabalhadores. “Essa prorrogação é uma aberração e tem como único objetivo proteger o grupo da constrição de bens”, diz.
Já o advogado da Fazenda Araguaia no processo de recuperação judicial, Everson Ricardo Arraes Mendes, afirma que as causas que levaram ao pedido de recuperação judicial ainda não foram resolvidas. Para ele, ainda que não haja previsão na Lei de Recuperação Judicial que autorize a extensão, também não há proibição.
Segundo Mendes, os trabalhadores da Vasp receberão os valores depositados no caixa da massa falida. O advogado alega que haveria cerca de R$ 1 bilhão e que a dívida com os ex-empregados não chegaria a R$ 400 milhões. Duque Estrada, porém, discorda dos valores. Segundo ele, teria apenas R$ 160 milhões depositados e a dívida, apenas com os trabalhadores, giraria em torno de R$ 1 bilhão.
O advogado especialista em recuperação judicial, Júlio Mandel, do Mandel Advocacia, ressalta ser uma novidade a prorrogação em recuperação judicial. Em geral, afirma, as empresas querem encerrar o processo o mais rápido possível. Ao sair da recuperação, a companhia tem suas dívidas renovadas e isso faz diferença no seu balanço e na obtenção de empréstimos.
Muitas companhias, segundo Mandel, têm dificuldade para encerrar sua recuperação em razão das sentenças que ainda não geraram créditos habilitados a receber, conhecidos como incidentes pendentes. No caso da Parmalat, que Mandel assessora, o advogado afirma que tem tentado justamente o contrário para encerrar a recuperação judicial, já que existem incidentes pendentes, que poderiam ser quitados posteriormente pela empresa. Sobre o tema ainda não há precedentes no Superior Tribunal de Justiça (STJ).
 duque estrada

Real Madrid fecha patrocínio com a Emirates por 22 milhões de euros por ano


O presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, e o da Emirates, sheikh Ahmed bin Saeed al Maktoum, apresentarão na quinta-feira, no estádio Santiago Bernabéu, um acordo de patrocínio entre o clube e a empresa aérea.

O atual patrocinador da camisa do clube, a casa de apostas bwin, cujo contrato de seis anos termina na atual temporada, pagou ao Real Madrid cerca de 80,4 milhões de euros durante a parceria.
O acordo firmado com a empresa aérea tem um valor de 22 milhões de euros por temporada e uma duração de cinco anos.

TERRA

PF prende comissários de bordo suspeitos de importação ilegal


Segundo polícia, eles traziam smartphones, tablets, relógios e jogos.

Polícia Federal agora investiga quem receberia os produtos no Brasil.


Dois comissários de bordo foram presos suspeitos de descaminho na manhã desta terça-feira (28) quando desembarcavam com mercadorias no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, de acordo com a Polícia Federal.

Os dois traziam no avião, que vinha de Miami, uma carga ilegal de 14 smartphones, quatro tablets, três relógios e diversos jogos de videogame. Segundo a Receita Federal, as mercadorias foram avaliadas em US$ 25 mil.

Durante inspeção de rotina junto à máquina de raio-x, policiais encontraram muitos CDs de jogos e embalagens de smartphones e tablets vazias nas malas dos dois comissários. Questionados, disseram que os produtos haviam sido trazidos para o país em datas anteriores.

Porém, em uma revista pessoal, a Polícia Federal encontrou com eles smartphones, tablets e relógios, escondidos nas roupas que usavam. Os smartphones estavam ocultos em bermudas justas, usadas sob as calças dos uniformes. Os comissários também esconderam tablets debaixo das camisas e relógios em seus pulsos, segundo a PF.

Polícia apreendeu mercadorias com tripulantes de voo em Cumbica
Foto: Divulgação/Polícia Federal 

No caso, o crime de descaminho é qualificado pelo não pagamento, no todo ou em parte, de um direito ou imposto devido pela entrada ou saída de um produto de um país. A pena varia de dois a oito anos de prisão. Se condenados, ela poderá ser aplicada em dobro, já que o crime aconteceu em um meio de transporte aéreo.

A Polícia Federal agora investiga quem seria o receptador das mercadorias no Brasil. Ainda segundo a polícia, um dos comissários era americano e o outro tinha origem porto-riquenha, nacionalizado americano.
G1

Avianca ainda tem interesse na Tap

A Avianca – melhor dizendo o Grupo Sinergy – controlado pelos irmãos German e José Efromovich – não perdeu as esperanças de adquirir o controle da companhia aérea portuguesa Tap. Durante a apresentação da nova marca da aérea na manha desta terça-feira (28/05), German conversou com a reportagem do M&E sobre o assunto e foi claro: “Estamos aguardando o governo português”.

Ele explicou que o grupo aguarda as informações sobre um novo processo de privatização, uma vez que a Tap é controlada atualmente pelo governo de Portugual. “Estamos esperado o governo se mexer”, avisou. “Mas se demorar muito podemos perder a vontade também”, complementou.

MERCADO E EVENTOS

Fusão da Azul com a Trip celebra primeiro aniversário



 
Para simbolizar essa união, uma aeronave foi pintada especialmente com elementos da marca Trip e da nova marca da companhia. Batizado de “Espírito de União”, o E-jet 195, de matrícula PR-AXV, foi entregue hoje durante cerimônia.
Há exatos 365 dias, a Azul Linhas Aéreas Brasileiras e a Trip Linhas Aéreas anunciavam uma importante decisão: as empresas fecharam um acordo de união, para juntas, formar a terceira potência da aviação brasileira. Esse casamento logo mostrou ao mercado seu potencial, uma vez que a companhia resultante – a Azul, com “U” de união – mostrou ser fruto de uma das mais significativas fusões da história do transporte aéreo brasileiro e, hoje, detém uma frota de 118 aeronaves, serve 103 destinos brasileiros, opera 799 voos diários, representando 29.3% de todas as decolagens do país, emprega mais de 9.000 funcionários, possui 16,7% de market-share (segundo dados da Anac) do setor e acumula inúmeros prêmios, nacionais e internacionais.

“Estamos colhendo os frutos de um brilhante processo de fusão, executado por um time excepcional, que superou nossas expectativas. Estamos com uma malha de voos bastante abrangente, com hubs fortes, que atendem a todas as regiões do país e proporcionam alta conectividade para capitais e as rotas regionais” comemora o fundador e CEO da Azul Linhas Aéreas Brasileiras, David Neeleman.

Com visões de mercado semelhantes, pontos comuns em suas culturas e filosofias, frotas compostas por aeronaves das mesmas fabricantes, entre outros quesitos, as empresas aproveitaram o “melhor dos dois mundos” e integraram em tempo recorde suas estruturas organizacionais, seus sistemas, malhas aéreas, uniformes, serviço de bordo, além de suas unidades físicas, tanto dos prédios administrativos como dos call centers.

“Os ganhos por conta da similaridade de nossa frota e complementaridade de nossa malha foram importantes para mantermos os nossos planos. Hoje, somos líderes em 70 dos 103 destinos, além de sermos a única operadora em 45 deles. A frota da Azul, além de ser a mais jovem do mercado, é composta por aeronaves que oferecem entre 47 e 118 assentos, permitindo a companhia servir cidades de pequeno, médio e grande porte, onde outras companhias não chegam”, afirma o presidente do Comitê Executivo da Azul, José Mario Caprioli.

Para simbolizar essa união, uma aeronave foi pintada especialmente com elementos da marca Trip e da nova marca da companhia. Batizado de “Espírito de União”, o E-jet 195, de matrícula PR-AXV, foi entregue hoje, dia 28, durante cerimônia realizada na Embraer, em São José dos Campos, interior de São Paulo. “Essa é uma aeronave especial para nós. Ela permanecerá na malha da Azul com essa pintura e sempre será um símbolo dessa significativa fusão” diz o diretor de Comunicação e Marca da Azul e criador da pintura especial, Gianfranco Beting.

Em sua mais recente ação, na última sexta-feira, dia 24, a companhia apresentou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pedidos de registro de companhia aberta e de registro de oferta pública de distribuição de ações preferenciais (“Oferta”), e manterá o mercado informado acerca dos termos e condições aplicáveis à mesma, por meio da publicação de Aviso ao Mercado, o que ocorrerá oportunamente.
BRASILTURIS

Anac concede à Gol frequencias semanais para a Nigéria

São Paulo - A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) concedeu à GOL três frequências semanais para voos regulares mistos entre o Brasil e a Nigéria, segundo portaria publicada no Diário Oficial da União.

Se confirmados pela companhia aérea, os voos para a Nigéria, o país mais populoso da África, serão os primeiros da GOL para um país não americano. Atualmente nenhuma companhia aérea brasileira oferece voos próprios para a África.

No mercado internacional, a GOL possui voos com destinos para países da América do Sul e no fim do ano passado a empresa iniciou operações com destinos à Miami e Orlando, nos Estados Unidos, e Santo Domingo, na República Dominicana.

Representantes da GOL não comentaram o assunto. A empresa emitiu comunicado curto ao mercado em que afirma que estuda a inclusão da nova rota em suas operações e que ela seria operada com a frota padrão de aeronaves Boeing 737 da companhia.

"Se, e quando, a companhia decidir seguir (com os planos para voos para a Nigéria), fará a divulgação devida para o mercado", informou a GOL em comunicado.

A empresa também já sinalizou que pretende lançar, no segundo semestre, novos voos para a América Central e América do Norte.
Às 15h10, as ações da GOL exibiam alta de 3,5 %, enquanto o Ibovespa mostrava desvalorização de 0,09 %.

EXAME