PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM

PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM
PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM

terça-feira, 31 de maio de 2011

Queridos colegas de voo, clientes e leitores .PARABÉNS pelo nosso dia 31/5.


É com imensa satisfação que venho aqui desejar hoje um céu de brigadeiro para todos os tripulantes, inclusive aos colegas Comissários (as ) de Voo pelo seu dia 31/5.
Deixo aqui um enorme abraço a todos os amigos, colegas, clientes e leitores.
Flap 15! Felicidades pelo dia dos Comissários ( as ) de Voo. PARABÉNS!!!!
Cmra. Daniele Carreiro

Comemoração do dia dos Comissários ( as ) de Voo no RJ - Ex- Vaspianos (as ).

PARABÉNS AOS COMISSÁRIOS ( AS ) DE VOO PELO SEU DIA 31/5.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Cinzas de vulcão islandês cancelam voos na Escócia


Secretário britânico dos Transportes disse que voos em Glasgow e Edimburgo podem voltar ao normal nesta terça


O alastramento das cinzas de um vulcão islandês forçou o cancelamento, nesta segunda-feira, de diversas decolagens e aterrissagens em aeroportos escoceses.

Empresas como British Airways, Easyjet e KLM decidiram suspender suas atividades na Escócia, e alguns voos transatlânticos sofreram atrasos.

A ameaça de mais interrupções aéreas fez com que o presidente dos EUA, Barack Obama, adiantasse em um dia sua ida de Dublin (Irlanda) a Londres, primeira parada de sua viagem pela Europa nesta semana.

O serviço meteorológico escocês previu que uma nuvem de fumaça vulcânica chegaria na noite desta segunda-feira ao país e a partes da Irlanda do Norte na manhã de terça. Aparentemente, a Inglaterra não será afetada pelas cinzas.

Ainda assim, os meteorologistas disseram que é difícil prever qual direção a nuvem de fumaça tomará nos próximos dias.

Imagem de satélite da Nasa mostra nuvem de cinzas expelida pelo vulcão Grimsvotn, Islândia (22/05)
Foto: Reuters

Imagem de satélite da Nasa mostra nuvem de cinzas expelida pelo vulcão Grimsvotn, Islândia (22/05)

Normalidade

O secretário britânico dos Transportes, Philip Hammond, confirmou que “a maioria ou todos os voos da Escócia serão suspensos” na manhã de terça, mas acrescentou que o tráfego aéreo deveria voltar à normalidade por volta de meio-dia (horário local) em cidades como Glasgow e Edimburgo.
Qualquer inconveniente depois disso será “limitado”, afirmou Hammond.

Porta-vozes do aeroporto de Edimburgo pedem que os passageiros confirmem seus voos antes de se dirigir ao local.

O vulcão Grimsvotn entrou em erupção no último sábado, fazendo com que os europeus recordassem dos efeitos de outro vulcão irlandês, o Eyjafjallajokull, cuja erupção, no ano passado, praticamente paralisou o tráfego aéreo da Europa por cerca de um mês.

Especialistas dizem, porém, que o Grimsvotn não deve causar tantos problemas: além de a erupção atual ter menor escala, suas cinzas são maiores e, por isso, caem mais rapidamente no chão.

Site IG.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Piloto do voo AF 447 não estava na cabine quando avião começou a apresentar problemas, diz revista

  • Franceses divulgam novas imagens de caixa-preta do voo AF 447, que matou 228 pessoas em 2009; entenda como funciona uma caixa-preta
A gravação da caixa-preta recuperada do voo AF 447 da Air France que caiu no Oceano Atlântico, em 2009, revela que o piloto Marc Dubois não estava na cabine quando o momento mais crítico do voo começou, de acordo com a revista alemã “Der Spiegel”.

Em apenas quatro minutos, o destino do voo AF 447 foi selado. Este foi o tempo gasto do momento em que o primeiro aviso de emergência apareceu no painel do Airbus A330 até a queda no mar, entre o Brasil e a África, matando todas as 228 pessoas a bordo.

Desde a semana passada funcionários do Escritório de Investigação de Acidentes Aéreos da França (BEA, na sigla em francês) estão analisando o conteúdo das gravações da cabine do Airbus recuperadas da caixa-preta do avião. As análises feitas até agora sugerem que o acidente foi causado por uma combinação de erros técnicos e humanos.

Fontes ligadas à investigação revelaram que o piloto Marc Dubois, de 58 anos, não estava na cabine do avião no momento em que o problema começou. No entanto, o piloto correu para seu lugar assim que percebeu que algo estava errado. “Ele instruiu os dois co-pilotos para salvar a aeronave”, disse uma fonte ao “Spiegel”.

Apesar de a ausência momentânea do piloto indicar que um erro humano pode ter causado o acidente, dados da caixa-preta indicam que o avião se comportava de maneira estranha. Até agora, acredita-se que os pilotos levaram o Airbus para uma região de tempestades. A baixa temperatura acabou por congelar os sensores de velocidade.

No entanto, segundo a análise da caixa-preta, os pilotos tentaram achar o caminho mais seguro. A Zona de Convergência Intertropical é um local traiçoeiro, com cristais de gelo difíceis de serem detectados em radares climáticos. A quebra de sensores de velocidade dificultou o trabalho dos pilotos que precisam, neste momento do voo, manter o avião em uma velocidade precisa.

Há a possibilidade, de os pilotos terem agido de maneira incorreta com a quebra dos sensores de velocidade. Mas isto não isenta a fabricante do avião de responsabilidade.

uol

domingo, 22 de maio de 2011

Vulcão fecha o espaço aéreo na Islândia


As nuvens de fumaça ultrapassam 20 km de altura



A Agência Europeia para a Segurança na Navegação Aérea (Eurocontrol) confirmou o fechamento temporário do espaço aéreo da Islândia por causa da nuvem de cinza provocada pela erupção do vulcão Grimsvoetn, no sul do país.

Os responsáveis da Eurocontrol anunciaram que o espaço aéreo islandês vai ficar fechado de forma temporária, mas a situação não deve afetar o resto do espaço aéreo europeu nem os voos transatlânticos.

A autoridade de controle aéreo da Islândia (Isavia) havia ordenado inicialmente a proibição de voos no raio de 220 quilômetros ao redor de Grimsvoetn, mas decidiu ampliá-la neste domingo devido à propagação das cinzas.

O vulcão Grimsvoetn está localizado na geleira Vatnajoekull (sudeste da Islândia) e sua última erupção foi em 2004 durante poucos dias.

Foto: AFP

A fumaça do vulcão passou de 20 km de altura

Em abril de 2010, uma nuvem de cinzas expelida após a erupção do vulcão islandês Eyjafjallajökull obrigou as autoridades europeias a fechar o espaço aéreo da Europa. Mais de 100.000 voos foram cancelados e mais de oito milhões de passageiros ficaram bloqueados.

Embora a nuvem de cinza tenha alcançado no sábado os 20 mil metros de altura, trata-se de um tipo mais espesso que o do Eyjafjallajökull, por isso não consegue deslocar-se tão rápido, por isso foi descartado inicialmente que afete outras partes da Europa, segundo o Escritório Meteorológico da Islândia.

A erupção do Grimsvoetn, que fica na grande geleira Vatnajökull, é a maior de um vulcão em um século e é mais potente que a do Eyjafallajökull, com maior expulsão de magma e de cinza, segundo o instituto meteorológico. Várias localidades do sul da Islândia sofreram precipitações abundantes de cinza nas últimas horas, apesar de o Grimsvötn ficar em uma região despovoada e não existir habitantes em um raio de 100 quilômetros ao redor da cratera.

"É a interação entre a água fria e o magma quente que causa a formação de minúsculas partículas", particularmente perigosas para as turbinas dos aviões, explicou no mês passado à AFP Susan Stipp, professora de Nanociências da Universidade de Copenhague.

Bjarni Steinthorsson, um fazendeiro que vive perto da geleira Vatnajoekull, indicou no site do jornal islandês Morgunbladid que pequenas quantidades de cinzas tinham começado a cair, ainda no sábado. A neve que cobre a região "ficou negra", disse.

Os serviços de segurança rodoviária islandeses anunciaram o fechamento temporário de uma estrada próxima ao local da erupção.

Site IG

TÁ BARATO PRA CARAMBA!!! Pernoite conosco.




Pernoites ou Mensais em nossas pousadas. Ligue já!
Para você TRIPULANTE ou você da AVIAÇÃO ou em cursos, voando ou a passeio aqui em Congonhas - São Paulo.
Pernoites somente R$ 30,00 com toalha de banho.
Não perca! Vale a pena conferir!

Vagas para Pilotos, Co-pilotos e Comissárias (os) com experiência em MK 28 / Fokker – 100.

CONTRATA-SE PARA VOAR: MK – 28 / Fokker – 100.





Candidatos interessados devem enviar currículo para e-mail: bcirne@voemais.com.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Bruna Cirne
Human Resources

Rua Gonçalves Dias 51, 4º andar
20050-030 Rio de Janeiro RJ
tel: 21-2283-6131 R 406
bcirne@voemais.com.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
www.voemais.com.br

SNA

Empresa contrata Comandantes

CONTRATA-SE:

Cmte. de C-208 Caravan na base Belém
e também
Cmte. de PA-34 Sêneca na base Goiânia

Os interessados devem fazer contato pelo fone 62 3096-7029
ou pelo email: rh@voesete.com.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
--
Atenciosamente,

Kelly Maris
Grupo SETE

(62) 3096-7029
Gestão de Pessoas
www.voesete.com.br
www.setetaxiaereo.com.br

SNA.

Emirates Airlines promove Open Day em São Paulo para contratar 30 comissários


A companhia Amirates Airlines promove no dia 20 de maio um Open Day em São Paulo para ampliar sua equipe.

O objetivo do evento é recrutar candidatos para 30 vagas de comissário de bordo.
Dentre os requisitos, o candidato deve ter completado o ensino fundamental, ser maior de 21 anos e falar e escrever em inglês com fluência.
A nova equipe de comissários da Emirates ficará sediada em Dubai.

Informações e cadastramento de currículos no site www.turijobs.com.br.

Publicado na Folha de Turismo >> Mercado&Eventos/SNA.

SNA orienta aposentados com “benefício limitado ao teto” a solicitar revisão ao INSS



O Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) orienta os aposentados que possuam carta de concessão da aposentadoria com a inscrição “benefício limitado ao teto” ou “100%” a solicitar, primeiramente, a revisão administrativa desse benefício junto ao Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).

O pedido de recálculo pode ser feito no posto do INSS. É importante que o aposentado leve consigo uma cópia da liminar concedida pela Justiça Federal de São Paulo, que dá um prazo de 90 dias para o órgão realizar o pagamento à vista, sob pena de multa diária de R$ 500 mil.

O governo já declarou que não tem condições de cumprir o prazo de 90 dias da liminar. Mesmo assim, o primeiro passo de solicitar no INSS a revisão do benefício e aguardar o cumprimento do prazo é fundamental para um segundo passo que poderá ser o ingresso com a ação na Justiça (tendo em mãos o documento da negativa do INSS).

O Ministério da Previdência afirmou inicialmente que o reajuste e o pagamento aos aposentados seria automático, mas não cumpriu essa promessa. Foi por isso que o Ministério Público Federal ingressou com o pedido que resultou na liminar.

A única informação do INSS, até agora, é a de que 731 mil aposentados terão direito à revisão, sendo que somente 131 mil desses vão receber as diferenças pelos últimos cinco anos. O reajuste deverá elevar benefícios, em média, em R$ 184,86.

Mesmo se, futuramente, a liminar da Justiça Federal for derrubada, a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o Recurso Extraordinário 564.354 – que reconheceu a revisão dos benefícios concedidos antes das emendas constitucionais 20/98 e 41/2003 – continua valendo, e a revisão é devida aos aposentados.

Quem não tiver a carta de concessão deve pedir a emissão de uma segunda via nas agências do INSS, agendando o pedido pela central 135 ou pela Internet (www.mps.gov.br).

Os aposentados interessados em buscar esse reajuste devem ter em mãos todos os documentos necessários para encaminhar o pedido. O SNA ressalta que é importante não se precipitar e que a entidade seguirá informando as novidades sobre o assunto e a necessidade de novas iniciativas.

Dia dos COMISSÁRIOS DE VOO. Encontro dos EX-VASP 2011- RIO


Dia 29 de maio de 2011
Domingo, no Iate Clube do Jardim Guanabara - Ilha do Governador - Rio de Janeiro
Do meio-dia às 18 horas
Participação: R$ 80,00
Depósitos no Banco Itaú 341 - Agência 0370 - C/c: 36701-3 - Depósito identificado
Telefones para contato: (21) 8898-3123 begin_of_the_skype_highlighting (21) 8898-3123 end_of_the_skype_highlighting - (21) 2462-3717 begin_of_the_skype_highlighting (21) 2462-3717 end_of_the_skype_highlighting
Organizadores: Cmros. de Voo -Carlúcio, Pedro Domett, Sergio Carbone e Valéria Moraes

STJ define que é indevida cobrança de IR sobre aposentadoria complementar


A Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) julgou, nesta quarta-feira (8), o primeiro recurso repetitivo encaminhado ao colegiado e definiu: é indevida a cobrança de Imposto de Renda sobre valores de complementação de aposentadoria e de resgate de contribuição correspondente para entidade de previdência privada. A União/Fazenda Nacional deverá devolver aos aposentados o que foi recolhido indevidamente a título de Imposto de Renda, com correção monetária de acordo com os índices previstos no Manual de Orientação de Procedimentos para os Cálculos da Justiça Federal, aprovado pelo Conselho da Justiça Federal (CJF) em 2007.

A decisão da Primeira Seção foi unânime e segue o rito da Lei nº 11.672/2008, dos recursos repetitivos, medida que vai agilizar a solução de milhares de recursos sobre esse tema. Seguindo a lei, o julgado da Primeira Seção será aplicado automaticamente aos processos sobre o tema que estavam paralisados nos Tribunais Regionais Federais (TRFs) de todo o país, desde o encaminhamento do processo à Primeira Seção. Aos processos que já estão nos gabinetes dos ministros do STJ ou aguardando distribuição no tribunal o julgado também será aplicado imediatamente.

O relator do processo, ministro Teori Albino Zavascki, determinou, em seu voto, que sejam encaminhados ofícios com o teor do julgamento a todos os Tribunais Regionais Federais e à Presidência do STJ para as devidas providências.

Para quatro dos cinco autores do recurso, a decisão reconhece o direito deles à devolução pela União dos valores pagos indevidamente a título de imposto de renda sobre os benefícios da previdência complementar, no período de janeiro de 1989 a 31 de dezembro de 1995, de acordo com a Lei nº 7.713/88.

O julgamento também definiu ser indevido o recolhimento de imposto de renda pelos beneficiários a partir de janeiro de 1996, até o limite do que foi recolhido pelos aposentados, segundo a Lei nº 9.250/95. Esses valores também deverão ser devolvidos pela União com correção monetária calculada de acordo com os índices indicados pelo Manual de Orientação de Procedimentos para os Cálculos da Justiça Federal, aprovado pela Resolução 561 do Conselho da Justiça Federal (CJF), de fevereiro de 2007.

O recurso dos aposentados foi acolhido pela Seção apenas em parte porque o pedido de um dos cinco autores estaria prejudicado por causa da existência de decisão transitada em julgado (quando não cabe mais recurso) em outra ação judicial sobre o mesmo tema que já teria beneficiado a aposentado.

Sempre News.

Aposentadoria x bitributação




A ação teve início com o pedido judicial feito por cinco aposentados contra a União/Fazenda Nacional. Os autores afirmaram não poder incidir imposto de renda sobre o benefício da complementação de aposentadoria, pois isso caracterizaria bitributação, o que é vedado por lei.

O recurso especial chegou ao STJ após decisões desfavoráveis aos aposentados na Primeira e Segunda instâncias. O Juízo de primeiro grau entendeu que o pagamento do benefício agrega valor econômico, por isso deve ser cobrado o imposto de renda. Já o Tribunal Regional Federal (TRF) da 2ª Região concluiu que o valor da complementação de aposentadoria não advém, de forma proporcional e matemática, das contribuições pagas ao plano de previdência privada. Assim, não estaria configurada a bitributação.

No recurso ao STJ, o advogado dos aposentados destacou o entendimento firmado pela Corte Superior no sentido de que não há incidência do imposto de renda sobre os benefícios de previdência privada obtidos pelos autores do processo.

Como o processo trata de tese com jurisprudência (entendimento firmado) pacífica no STJ, o ministro Teori Albino Zavascki encaminhou o recurso para a Seção, seguindo o trâmite da Lei nº 11.672/2008, que apreciou o tema e definiu a questão nesta quarta-feira (8), acolhendo o pedido dos aposentados. Dessa forma, serão agilizados os julgamentos de vários recursos sobre o tema em todo o país com a aplicação do julgado do STJ.

Sempre News: (artigo enviado - em 22 de abril - pelos colegas leitores Helio Ruben e Nelson Pradal)

NOVO CRIME DO ARRUDA E DO CANHEDO ( Dono da VASP ).


NOVO CRIME DO ARRUDA E DO CANHEDO

José Roberto Arruda; ex-governador do DF


Arruda é indiciado por dispensa ilegal de licitação e Canhedo por formação de quadrilha

O ex-governador do Distrito Federal (DF) José Roberto Arruda foi indiciado hoje (13) por mais um crime. De acordo com a Polícia Civil do DF, Arruda – que já era acusado pelo crime de dispensa ilegal de licitação para a circulação de mil ônibus em 2007, durante a Operação Drakkar 1 – voltou a ser indiciado pelo mesmo crime na Operação Drakkar 2.

Fonte: Agência Brasil

A ilegalidade que levou Arruda ao novo indiciamento ocorreu na licitação de criação da empresa Fácil, responsável por controlar a bilhetagem automática dos ônibus do Distrito Federal.

Estimativas da Divisão Especial de Repressão aos Crimes Contra a Administração Pública da Polícia Civil indicam que, desde 2008, R$ 14 milhões deixaram de ser repassados ao DFTrans - agência que fiscaliza a área de transporte no Distrito Federal. Esses valores são referentes apenas aos 3,84% em impostos que deveriam ser repassados ao DFTrans.

Além de Arruda foram indiciados o ex-secretário de Transportes Alberto Fraga e o ex-diretor do DFTrans Paulo Munhoz – todos também indiciados na operação Drakkar 1. “Verificamos que Arruda, Fraga e Munhoz não só concederam, mas determinaram, além do ingresso dos veículos sem licitação, qual deveria ser o grupo responsável pela empresa Fácil”, disse o delegado encarregado pela operação, Flamarion Vidal.

De acordo com os investigadores, nas duas operações 1,2 mil ônibus piratas foram identificados – mil na primeira e 200 na Drakkar 2. Até a manhã de hoje, foram localizados e lacrados 168 dos 200 ônibus referentes à segunda operação.

“Os ônibus piratas tinham o propósito de prejudicar cooperativas que faziam as mesmas rotas”, disse o delegado Vidal. Segundo ele, a denúncia de que as empresas estavam colocando os piratas para circular partiu justamente dessas cooperativas.

“Apreendemos ainda cerca de 20 ônibus que circulam desde 2009 e nunca pagaram qualquer tipo de taxa, fora a de emplacamento. Havia também veículos que circulavam com idade de fabricação superior ao limite, que é dez anos”, disse o delegado.

Os empresários do setor de transporte Wagner Canhedo, Victor Foresti e Eduardo Queiroz – que também eram gestores da empresa Fácil – foram indiciados pela Polícia Civil por terem colocado os ônibus piratas no sistema. Com a falta de controle por parte do Estado, há suspeitas de que as empresas deixavam de cumprir com a manutenção adequada dos veículos.

“A circulação desses veículos pode implicar risco para a população, em função da falta de fiscalização pelo Estado, que abdicou do controle da frota a partir da criação da empresa Fácil, passando-o para as mãos dos próprios empresários do setor”, disse Vidal.

Apesar dos desvios feitos por empresários do setor, o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo (Setransp) reivindica aumento superior a 50% nas tarifas de ônibus do DF, sob a alegação de que precisam recuperar as perdas dos últimos anos. A Agência Brasil apurou que os três empresários indiciados hoje fazem parte da diretoria do Setransp. Canhedo é o presidente; Foresti e Queiroz são diretores.

“Agora vamos apurar para onde foi o dinheiro desviado e quem foram os beneficiados”, adiantou o delegado Flamarion Vidal. Confirmada a prática de dispensa ilegal de licitação, Arruda, Fraga e Munhoz poderão ser acusados também de peculato e de formação de quadrilha.



Museu TAM resgata aeronave da VASP


http://aeronautas.org.br/images/stories/clipping/11_05_19avbr003.jpg

O Museu TAM, em breve, terá o Boeing 737 (PP-SMA) da extinta companhia aérea VASP em seu acervo. “Há muito tempo somos cobrados para salvar as aeronaves que se deterioram lentamente em alguma praça ou aeroporto. O maior apelo sempre foi para o Boeing 737 da VASP, que foi o primeiro desse modelo a voar no País. Estamos orgulhosos por poder restaurar e preservar essa peça tão valiosa para a aviação comercial brasileira”, comemora João Francisco Amaro, presidente do Museu TAM.

A aeronave deve ser removida do aeroporto de Belo Horizonte/Confins ainda neste ano e transportada até o Museu por via rodoviária. “Ainda não sabemos como a restauração será feita nem quanto tempo vai durar, mas já podemos convocar como voluntários os antigos mecânicos da VASP para nos ajudar nesta gigantesca tarefa”, declara João Amaro.

Aviação Brasil

Aeroclube de Piracicaba realiza primeiro voo após acidente




O Aeroclube de Piracicaba retomou os voos neste sábado (21), após o acidente com o bimotor Sêneca que matou quatro pessoas no dia 16 de maio. O primeiro voo realizado foi de navegação (de uma cidade a outra) e deve ser finalizado por volta das 16h.
Segundo o presidente do aeroclube, Fernando do Valle Pavan, houve uma reunião com os instrutores para motivá-los e reforçar a segurança. “Ainda estão todos muito abalados, por isso essa conversa de incentivo foi necessária antes do voo”, conta.
O voo de instrução é necessário para retirar tanto o registro de Piloto Privado ( 40 horas), quanto o de Piloto Comercial (150 horas). “O aluno precisa aprender na prática como lidar com a bússola, com os equipamentos, com o tempo, enfim, com todos os instrumentos vistos na teoria”, explica Pavan.
O aeroclube, que tem atualmente 75 alunos, suspendeu temporariamente a viabilização de carteira para bimotor, já que o único avião deste modelo que possuía foi completamente destruído no acidente. “Segundo me informaram, o maior destroço do avião tem cerca de 1 metro, foi perda total mesmo e agora precisamos comprar outro”, afirma o presidente. Os voos realizados são em monomotor.
DestroçosO aeroclube de Piracicaba aguarda a autorização oficial do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa), que já finalizou a perícia, para retirar os destroços do avião do local do acidente.
Segundo Pavan, o trabalho deverá ser feito com a supervisão do órgão. “Quando nossa ida for oficialmente liberada, vamos precisar de ajuda do Águia (helicóptero) ou da FAB (Força Aérea Brasileira), já que o acesso à área é muito difícil”, afirma o presidente.
Investigação
O presidente do aeroclube de Piracicaba afirmou que a probabilidade de serem descobertas as causas do acidente aéreo é de 50%, já que o bimotor não possuía caixa-preta.
De acordo com Pavan, a aeronave estava em ótimo estado e havia passado por uma revisão no dia 13 de maio, em Americana. A empresa responsável pela manutenção do bimotor confirmou a última vistoria, mas preferiu não se pronunciar sobre o acidente.
“O que importa em uma aeronave não é o seu ano de fabricação, mas sim a frequência da revisão, já que nesses momentos ela é praticamente montada de novo. E só estando dentro dos parâmetros é que a Anac (Agência Nacional de Aviação) libera os vôos”, destaca Pavan.
As investigações sobre as causas do acidente serão mantidas em sigilo. Um relatório detalhado só deve ser concluído e divulgado dentro de 90 dias.
O acidente
O bimotor Sêneca voltava São José do Rio Preto quando, por volta das 22h30 da segunda-feira (16), fez o último contato com a Força Aérea Brasileira, em Pirassununga, avisando que estava a 10 minutos de Piracicaba. Segundo o aeroclube, o voo era a última etapa do curso dos alunos, após cumprirem todas as horas teóricas.
A aeronave foi localizada 12 horas depois do desaparecimento, pelo helicóptero Águia da Polícia Militar. A operação foi em conjunto com a FAB que enviou um helicóptero e um avião na manhã de terça-feira (17). Segundo o grupamento aéreo, os policiais reconheceram o bimotor pela letra "S" escrita na parte externa do avião, que trazia o escrito "Sierra".
Grupo12Horas.Aérea

Dicas para evitar 'pegadinhas' nas promoções de passagens aéreas


Companhias orientam sobre como aproveitar as passagens mais baratas.

Rodadas de tarifas mais baratas são estratégia na disputa por passageiros.

Na disputa pela preferência do consumidor, promoções aéreas cada vez mais agressivas tornam-se frequentes no mercado brasileiro: no começo do mês, a Azul oferecia passagens a partir de R$ 19; em abril, a TAM prometia descontos de até 90%. Esta semana, a Gol e a Webjet oferecem voos a partir de R$ 59.


Foto: A empresária Liege: 'especialista' em passagens para encontrar o marido, Fabrício

Aprender a distinguir preços realmente bons de “armadilhas” que podem acabar em traumas turísticos requer pesquisa e planejamento.

A empresária Liege Xavier, 50 anos, que mora em Fortaleza, virou "especialista" depois de quatro anos caçando passagens baratas para ela e a família: casada há cinco anos, Liege voa com frequência para visitar o marido, que mora em Recife, e os pais, que vivem em Porto Alegre.

O G1 ouviu órgãos de defesa do consumidor, companhias aéreas e habituais compradores que deram seis dicas básicas para tornar mais fácil e eficiente a busca por viagens que não pesem no bolso.

1. Busque mais informações

Saber só o preço da passagem não é suficiente. A recomendação do Procon-SP é que, por mais convidativa que seja a promoção, é importante verificar detalhes como validade, estadia mínima e máxima exigidas pela companhia e horário do voo.

Além disso, não deixe de checar se há restrições para cancelamento, reembolso e alterações de data e/ou destino. Em promoções em que o desconto é oferecido "por trecho" na ida, por exemplo, é bom ficar atento ao preço da volta, que pode acabar encarecendo o custo total.

“Todas essas informações, assim como o número de assentos disponíveis para a referida promoção, devem estar disponibilizadas ao consumidor na hora da compra de forma clara, precisa e ostensiva”, afirma o Procon-SP em nota.

2. Conheça a política de promoções da empresa

O G1 questionou as aéreas TAM, Gol, Webjet e Azul sobre como o consumidor pode se planejar para aproveitar bem suas promoções. Confira a recomendação de cada uma:

AZUL

O diretor comercial, Paulo Nascimento, orienta: a Azul costuma fazer promoções mais agressivas (como a de passagens a R$ 19, realizada em maio) como ferramenta de marketing para divulgar novas rotas. A companhia divulga as promoções em primeira mão nas redes sociais: Twitter, Facebook e o site Viajamos.com.br, da própria Azul.

GOL

Sempre que uma cidade operada pela Gol faz aniversário há uma promoção para este destino, diz a assessoria de imprensa empresa. Há, além disso, cerca 50% de desconto para passagens compradas com 21 dias de antecedência, ou 7 dias de antecedência com permanência mínima de dez dias no destino. A companhia divulga as promoções em um blog, no http://blog.voegol.com.br Os quiosques da companhia nos metrôs Sé, Itaquera e Luz, em SP, também são boas opções: os funcionários são treinados para orientar sobre passagens mais baratas.

TAM

A TAM realiza, de tempos em tempos, a MegaPromo, com descontos de até 90% nos finais de semana. Os voos de terça, quarta e sábado oferecem as tarifas mais baixas, segundo a empresa. As ofertas da companhia são divulgadas no www.ofertastam.com.br. Dá para se cadastrar no site e receber as promoções por email.

WEBJET

A Webjet usa as promoções como estratégia de marketing para trazer novos passageiros e divulgar destinos que ainda não estejam com a taxa de ocupação desejada. E também em datas especiais, e como Dia das Mães, Natal, Páscoa etc. A empresa divulga as ofertas no www.blogwebjet.com.br

3. Pesquise as condições de transporte do destinoTambém é importante saber se haverá condições de transporte local no horário em que o voo chegar ao destino.

“Às vezes alguns horários vão trazer problemas de logística. De madrugada você pode ter que ir de um aeroporto a outro para fazer conexão, por exemplo, e não ter táxi ou outro tipo de transporte à disposição”, afirma a coordenadora da ProTeste, Maria Inês Dolci.

4. Procure os voos que são sempre mais baratos

As companhias aéreas consultadas pelo G1 são unânimes em afirmar: para economizar mesmo fora das promoções, busque comprar com antecedência e em horários fora de pico, menos usados por executivos e voos corporativos.

"São sempre mais baratos os horários em que o fluxo corporativo não é tão pesado: horários do meio do dia; terças e quartas um pouco mais fracos que as segundas, sextas e domingos; sábado à tarde e domingo de manhã", recomenda o diretor comercial da Azul, dizendo que esses horários são tradicionalmente os mais baratos da aviação.

Quanto mais antecedência na compra, melhor. "Planeje viagens com três meses de antecedência; voe na baixa temporada. Voos fora do período de festas e férias são mais barato", recomenda a TAM, em nota.

5. Não compre pela emoção

A advogada Andreia Gorenstein, 35 anos, já ficou tentada a comprar uma passagem para Moscou por R$ 700 que encontrou no site de uma aérea internacional. Veio o dilema: devo comprar? Será que vale a pena ir para a Rússia no inverno? A hesitação passou em minutos, mas o plano foi frustrado: quando ela voltou ao site para fazer a compra, as passagens já haviam acabado.

"Eu estava louca para ir para Moscou, não me perdoei", diz Andreia. A "revanche" veio no mês passado, quando viu a oferta de ida e volta a Paris por menos de R$ 600. "Comprei na hora", diz, satisfeita com o resultado.

A sensação de urgência e a pressão de saber que as passagens podem se esgotar a qualquer momento leva muitas pessoas a fazerem compras para lugares que nem gostariam e, apesar da economia no transporte, acabarem desperdiçando dinheiro. Para Maria Inês, é melhor pensar antes em alguns lugares que gostaria de visitar e já chegar com foco ao dia da promoção.

6. Use as redes sociais

Compradoras experientes, tanto Liege quanto Andreia aprenderam que a tecnologia é uma grande aliada da busca por promoções. Acompanhar os perfis das companhias no Twitter e Facebook ajuda a saber das novidades em primeira mão; além disso, vale cadastrar-se nos sites das empresas para receber avisos por emails e torpedos pelo celular.

"Eu vejo muito o preço das passagens olhando a internet pelo celular", diz Liege.

Maria Inês, da ProTeste, alerta que nas compras virtuais é importante imprimir os anúncios da promoção e os comprovantes de compra, que servem como contrato. "É a garantia que o consumidor tem de poder cobrar que a empresa cumpra a tarifa prometida", afirma.

Fonte: Ligia Guimarães (G1) - Foto: Arquivo pessoal/ Notícias sobre aviação.

Os aeroportos das cidades-sede da Copa - 3


Aeroporto de Cuiabá


O aeroporto de Cuiabá, que teve a movimentação de 2 milhões de passageiros em 2010, deverá investir R$ 87,5 milhões na reforma e modernização do terminal de passageiros para poder receber mais turistas para os jogos que irá sediar.

As obras também irão incluir a adequação do sistema viário em torno e a construção de estacionamento. Segundo a Infraero, a licitação já foi concluída e está na fase de projetos. O aeroporto reformado deve ser entregue até julho de 2013.

Aeroporto de Curitiba


No Aeroporto de Curitiba, parte das obras previstas para a Copa poderão ser entregues no ano que vem. As obras consumirão cerca de R$ 73 milhões de reais para reformar e ampliar o terminal de passageiros e o sistema viário, além de ampliar o sistema de pátio e pista de táxi.

O edital de licitação das obras foram publicados entre dezembro e janeiro últimos e a etapa de propostas segue até março de 2011. A ampliação do terminal de passageiros é a que terá maior prazo para ficar pronta, a previsão é que termine até dezembro de 2013.

Aeroporto de Salvador


Com a movimentação de 7,5 milhões de passageiros somente em 2010, o Aeroporto de Salvador receberá, segundo a Infraero, R$ 45 milhões em investimentos para modernizar o maior aeroporto do Nordeste do país. As obras incluem construção de torre de controle, estimada sozinha em R$ 15 milhões, reforma do terminal de passageiros e ampliação do pátio de aeronaves.

O cronograma da Infraero prevê a entrega do aeroporto reformado em agosto de 2013, mas por enquanto os projetos estão em fase de licitação.

Aeroporto de Recife


Entre as 12 cidades-sede para a Copa, o Aeroporto de Recife será o de menor investimento para modernização das instalações. A única obra prevista no aeroporto será a construção de uma nova torre de controle, no valor de R$ 19,8 milhões.

Com previsão para ser entregue em abril do ano que vem, o projeto ainda não entrou nem em fase de edital. O terminal, que teve a movimentação de quase 6 milhões de passageiros no ano passado, estima que o número salte para 7,5 milhões em 2014.

Fonte: Amanda Luz (Exame.com) - Fotos: Arquivo/Exame / Divulgação

Os aeroportos das cidades-sede da Copa - 2

Aeroporto de Confins, em BH


Assim como nos outros aeroportos, o terminal de passageiros é o principal problema enfrentado pelos cerca de 7 milhões de passageiros que embarcam e desembarcam no Aeroporto de Confins por ano.

O aeroporto receberá o investimento estimado de R$ 408,6 milhões para ampliar e reformar o terminal e a pista de pouso, além de adequar o sistema viário.

As obras estão previstas para serem encerradas em outubro de 2013, mas por enquanto o projeto está em fase de licitação e a abertura das propostas será feita até o fim de fevereiro deste ano.

Aeroporto de Porto Alegre



O aeroporto mais movimentado na Região Sul do país, em Porto Alegre, deverá ter concluída a etapa de obras do terminal de passageiros em dezembro de 2013, segundo previsão da Infraero.

Para a primeira fase da reforma e ampliação, os investimentos serão de R$ 345, 8 milhões. Por enquanto, a licitação dos projetos ainda está em elaboração e as obras permanecem no papel.

As reformas para a Copa do Mundo deverão desafogar o terminal que, com 5,6 milhões de passageiros no último ano, deverá chegar a 8,8 milhões em 2014.

Aeroporto de Manaus



O aeroporto de Manaus deverá ser o último a ser entregue entre os aeroportos das cidades-sede, com previsão de conclusão das obras para dezembro de 2013. Com movimentação de 2, 7 milhões de passageiros no ano passado, o terminal do principal aeroporto do Norte do país passará por uma primeira etapa de ampliação e reforma.

As obras estão em fase de projeto e o processo de preparação de edital ainda não teve início. Os gastos previstos com a reforma giram em torno de R$ 327 milhões.

Aeroporto de Fortaleza



O terminal de passageiros do Aeroporto de Fortaleza foi inaugurado em 1998. Menos de 15 anos depois, ele passará por reforma e ampliação estimada em R$ 279 milhões. As obras do aeroporto da capital do Ceará ainda incluem adequação do sistema viário em torno.

O projeto que deverá tornar o terminal passível de receber as 6,4 milhões de pessoas previstas para 2014 ainda não tem data marcada para edital e abertura de licitação. Segundo a Infraero, as obras continuam marcadas para encerrar em agosto de 2013.

Fonte: Amanda Luz (Exame.com) - Fotos: Arquivo / Divulgação / Jonas Oliveira/Placar / Jorge Andrade/Wikimedia Commons

Os aeroportos das cidades-sede da Copa - 1

Em três anos o Brasil será o centro das atenções com a Copa do Mundo de 2014, veja em que pé estão os preparativos nos aeroportos do país

Aeroporto de Guarulhos


A principal porta de entrada do país, o aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, registrou um movimento de 26, 7 milhões de passageiros no último ano, acima da sua capacidade de 17 milhões. Para desafogar as áreas de passageiros, a construção de um terceiro terminal é a obra de maior volume de investimentos prevista para o aeroporto, no valor de R$ 716, 6 milhões. A ampliação, com previsão de entrega para novembro de 2013, ainda está em fase de projeto.

Ao todo, a Infraero prevê investimentos de R$ 1,2 bilhão na modernização e reforma do aeroporto (sem contar os R$ 740 millhões envolvidos nas obras do Aeroporto de Viracopos, em Campinas), com construção de novos módulos operacionais e pistas, que devem ficar prontos no ano que vem. Segundo o órgão, no entanto, a única obra que já se encontra em execução é a ampliação e revitalização do sistema de pistas e pátios, com previsão de conclusão para janeiro de 2012.

Aeroporto de Brasília



O Aeroporto de Brasília é o terceiro em movimentação no país, atrás de Guarulhos e Congonhas, com o embarque e desembarque de 14 milhões de passageiros somente no ano passado.

Os investimentos para a Copa totalizam R$ 748, 4 milhões, com previsão de projetos de reforma e ampliação do terminal de passageiros (1ª etapa), ampliação do sistema de pátio e aeronaves e do sistema viário.

Os projetos ainda prevêem, segundo a Infraero, construção de módulo operacional e edificações complementares. Por enquanto, tudo ainda está apenas no papel. O edital de licitação da primeira etapa da obra no terminal de passageiros foi publicado em dezembro último e a abertura das propostas foi feita em 5 de janeiro. As obras devem estar concluídas até julho de 2013, de acordo com a Infraero.

Aeroporto do Galeão, no Rio



A decisão final da Copa do Mundo deverá ser no Maracanã, como no campeonato de 1950. Para chegar lá e ver ao vivo o campeão levantar a taça, os brasileiros e turistas deverão passar por dois terminais de passageiros reformados e entregues desde o ano anterior, segundo a previsão da Infraero.

O projeto de reforma receberá R$ 687 milhões e já está em obras. As obras no primeiro terminal têm entrega marcada para dezembro de 2012 e o segundo para julho de 2013.

Aeroporto de Natal



Com investimentos de R$ 254 milhões previstos somente para a primeira etapa, Natal tem um novo aeroporto sendo construído na região metropolitana. As estimativas são de que a construção do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante consumirá, ao todo, R$ 577 milhões.

Segundo a Infraero, a primeira etapa será entregue em abril deste ano e a conclusão será conduzida pela iniciativa privada. No momento, a segunda etapa está em processo de assinatura de novo termo de Cooperação com o Exército.

O novo aeroporto irá substituir o atual Aeroporto Internacional Augusto Severo (na foto ao lado) como a principal porta de entrada do Rio Grande do Norte, que teve a movimentação de 1,8 milhão de passageiros no último ano. Como a construção será concluída pela iniciativa privada, a Infraero afirmou não dispôr da estimativa de capacidade do novo aeroporto após a conclusão das obras.

Fonte: Amanda Luz (Exame.com) - Fotos: Arquivo/Exame / Jonas Oliveira/Placar / Divulgação / Demis Roussos/Arquivo

8 dicas para aliviar o sufoco nos aeroportos brasileiros

De infraestrutura à gestão dos aeroportos, especialistas apontam algumas prioridades para que o Brasil receba bem os estrangeiros e trate bem seus próprios passageiros


Especialistas, autoridades e até Pelé, o garoto-propaganda da Copa de 2014, já se pronunciaram, desconfiados, sobre a questão dos aeroportos no Brasil. O tom do discurso é sempre o mesmo: não vai dar tempo de suprir as carências da precária infraestrutura até a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas, dois anos depois.

O governo corre contra o tempo. Nesta semana, prometeu dar um diagnóstico sobre os projetos de concessão de aeroportos à iniciativa privada em até 60 dias. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social vai avaliar a viabilidade econômica de três projetos, que preveem ampliar a capacidade dos aeroportos de Guarulhos (São Paulo), Viracopos (Campinas) e Brasília.

Entretanto, as maiores críticas de quem entende do assunto dizem respeito justamente à pressa. Não significa que o processo deva ser lento. O horizonte para o qual se olha é que não pode ser muito curto. Pequenos "remendos" na estrutura aeroportuária brasileira podem até resolver os problemas em 2014, mas vão gerar consequências mais graves nos anos seguintes.

Exame.com conversou com especialistas em transporte aéreo como Respício do Espírito Santo, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Jorge Eduardo Leal, da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo; Anderson Correia, superintendente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), dentre outros, e reuniu dicas para aliviar o sufoco nos aeroportos do país. Eles abordaram temas como gestão dos aeroportos, infraestrutura e desburocratização da recepção dos visitantes.

Não pensar na Copa e nas Olimpíadas

Para o professor Respício do Espírito Santo, da UFRJ, a Copa do Mundo e as Olimpíadas não podem ser a motivação das obras em aeroportos. Se isto acontecer, serão feitos "remendos" que solucionam o problema temporariamente, mas criam outros ainda maiores no futuro. "Se formos construir agora para chegar a uma situação ultra confortável daqui a 10 anos, então, na época da Copa, a situação vai ser melhor do que se tentarmos apressar as coisas agora. Se fizermos obras pensando na Copa, em 10 anos estaremos perdidos."

Definir um plano de ação específico

Para o doutor em engenharia de transportes e superintendente da Anac, Anderson Correia, o governo precisa deixar de lado o "precisamos fazer isto, e aquilo..." e definir logo as prioridades. "Quais são as necessidades? Não tem nada fechado ainda. Não se sabe se vai haver terceiro aeroporto em São Paulo, se vão construir uma terceira pista no aeroporto de Guarulhos, ou se vão ampliar a capacidade de Viracopos. O tempo para fazer tudo isto é longo, e o governo ainda não bateu o martelo."

Trazer a iniciativa privada para perto

Desenvolver o setor aeroportuário brasileiro passa necessariamente por uma parceria com a iniciativa privada, como a própria Anac reconheceu. Um estudo da consultoria McKinsey mostra que seria interessante para o setor aéreo brasileiro ter parcerias entre governo e empresas para a reforma de aeroportos, a construção de novos, e a administração.

O problema é que o setor privado fareja roubadas à distância. Para que a parceria entre as empresas e o governo funcione, é preciso ter transparência e informações objetivas. "A iniciativa privada não entra em uma obra com custo estimado em um bilhão de reais, como é a do aeroporto de Guarulhos, sem conhecer todas as regras do jogo. Um bom exemplo é quanto ao futuro de São Paulo. As empresas vão querer saber se haverá um bom sistema de transportes ligando o aeroporto ao centro da capital, se haverá um novo aeroporto em São Paulo para concorrer com o de Guarulhos. Tudo isso é importante para que elas avaliem o retorno que terão do investimento", diz Anderson Correia, da Anac.

Segundo o diretor de infraestrutura da Anac, Rubens Carlos Vieira, a criação do novo órgão de cúpula da aviação brasileira, a Secretaria de Aviação Civil (Seac), vai ajudar neste esforço. A nova líder do setor vai se encarregar de direcionar os rumos para que o modelo de autorizações e concessões a empresas privadas ganhe mais espaço. O mais provável é que as futuras gestões sejam mistas, sendo improvável um aeroporto totalmente privado.

Conversar sobre tudo, e com todos

Um problema crônico do setor aéreo brasileiro, na visão do professor Respício, é o diálogo ruim entre todos os atores que compõem o cenário, tanto os públicos quanto os privados - a Anac, a Infraero, empresa que administra a maioria dos aeroportos brasileiros, as próprias companhias aéreas, dentre outros. Conversa-se pouco. A disposição para falar é grande, mas para ouvir, nem tanto. "Aqui no Brasil não se consegue trabalhar pelo negócio do outro. Todo mundo quer fazer o seu trabalho sem saber o que se passa ao seu redor. A Infraero hoje é incapaz de ajudar as empresas aéreas, e vice-versa."

Construir terminais móveis de passageiros

Os terminais móveis de passageiros seriam uma boa solução de emergência para os aeroportos brasileiros. E segundo o professor Jorge Leal, da USP, a urgência não tem ligação com a Copa do Mundo e as Olimpíadas. "Falo do que está acontecendo agora. Nos próximos anos o tráfego de passageiros vai aumentar muito, e toda solução que puder aumentar a capacidade é bem vinda." Leal afirma que a experiência com terminais provisórios foi bem sucedida em cidades como Atenas, Frankfurt e Lisboa. Nesta última, a construção foi feita para aliviar a demanda de passageiros que aumentou por causa da Eurocopa, disputada em Portugal em 2004. "Este terminal funcionou tão bem que de provisório não teve nada. Está lá até hoje."

O professor ressalta ainda que, se a opção for o terminal móvel, outras obras auxiliares devem ser consideradas. "Os terminais são boas escolhas, mas nunca sozinhos. É preciso investir em estacionamentos e novos pátios para as aeronaves. São ampliações fundamentais em aeroportos que já estão em situação complicada, como Guarulhos e Vitória."

Considerar a expansão do aeroporto em São José dos Campos (SP)

Segundo Anderson Correia, da Anac, o aeroporto de São José dos Campos, no interior de São Paulo, seria uma opção rápida para aliviar a pressão do excesso de passageiros. O aeroporto tem uma pista ociosa e com capacidade para a movimentação de grandes aeronaves. Seria preciso ampliar o pátio em que as aeronaves ficam estacionadas e o terminal de passageiros, obras que podem ser feitas em menos de três anos.

A distância entre o município e a capital paulista é de aproximadamente 100 quilômetros, o que poderia afastar os passageiros. Entretanto, para o superintendente da Anac, o risco de ociosidade depois que as obras de ampliação terminarem é baixo. "Fizemos um estudo mostrando que, se o terceiro terminal de Guarulhos não for feito, a demanda no aeroporto de São José vai passar para cinco milhões de passageiros por ano. Além disso, a ligação entre São José dos Campos e São Paulo por rodovias é boa. A cidade tem infraestrutura logística. Muitos turistas vêm para cá querendo conhecer Campos do Jordão e cidades do litoral, o acesso a estes lugares partindo de São José é fácil."

Investir em identificação inteligente para acabar com as filas

Aumentar a eficiência na recepção de passageiros não depende apenas de terminais maiores. É preciso investir em tecnologia para diminuir as filas e os inconvenientes, sobretudo em momentos de grande movimento, como os eventos esportivos dos próximos anos. Segundo o sócio-líder da área de imigração da consultoria Ernst&Young, James Egan, o governo brasileiro deveria considerar o uso de identificação biométrica de passageiros, como a leitura de impressão digital e de retina, além de passaportes inteligentes, dentre outras opções.

Criar postos avançados em aeroportos estrangeiros

Outra dica do especialista James Egan, da Ernst&Young é criar postos avançados de registro de visitantes estrangeiros em aeroportos fora do Brasil. Os escolhidos seriam, naturalmente, aqueles de onde mais partem voos para o país, como os aeroportos de Miami, Lisboa e Buenos Aires. Estes locais funcionariam como "observatórios das leis brasileiras". Neles, visitantes estrangeiros apresentariam seus vistos e todas as burocracias seriam cumpridas antes que ele embarcasse para o Brasil. Para isto, entretanto, o Brasil primeiro precisa modernizar suas embaixadas e consulados no exterior. Atualmente, segundo ele, um executivo perde 12 dias esperando por um visto de entrada no Brasil, o que significa um grande transtorno para quem tem que viajar frequentemente.

Fonte: Eduardo Tavares (Exame.com) - Foto: Jonas Oliveira/Placar/ Notícias sobre aviação.

Polícia Federal inclui Viracopos na rota do tráfico internacional


Uma série de apreensões de drogas com passageiros do exterior levou a Polícia Federal a incluir o Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), na rota do tráfico internacional. Já houve nove casos neste ano - três na mesma semana. Desses, oito eram estrangeiros com cocaína, e foram apreendidos 51,16 kg. O outro foi um brasileiro com 500 micropontos de LSD. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A PF atribui o aumento à retomada dos voos regulares internacionais, após quase duas décadas de interrupção. Além disso, em comparação com o início do ano passado, o número de passageiros triplicou, mas a estrutura da PF não acompanhou. Enquanto os Aeroportos de Cumbica e Congonhas têm delegacia, o de Viracopos, conta só com um posto da PF. Um policial federal que pediu para não ser identificado contou que o único equipamento para detectar drogas é o raio X. Nas últimas apreensões, segundo ele, agentes usaram "olhômetro", ou seja, a simples observação no check-in.



Spotting Viracopos/Por Terra

Aeroporto de Viracopos pode ter free shop até o fim deste ano


Pregão presencial para licitação está marcado para o dia 23
O Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, deve contar com o serviço de free shop até o fim deste ano. De acordo com o edital de licitação aberta pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), as áreas destinadas à exploração de lojas francas para venda de mercadorias nacionais e estrangeiras terão 87 metros quadrados na sala de embarque internacional de passageiros, e 273 metros quadrados no desembarque internacional.

O free shop deve oferecer perfumes, cosméticos, artigos de cinema, fotos, som e vídeo, óculos, relógios, eletrônicos, artigos esportivos, produtos de tabacaria, bebidas, alimentos, embalados e brinquedos com redução ou isenção de impostos, o que pode incentivar a procura por passagens com saída e chegada por Campinas. Vale lembrar que as compras feitas no free shop são feitas sem imposto de importação.

Depois de assinar o contrato, o vencedor do pregão terá prazo de 25 dias para apresentação do projeto, de 75 dias para o início das obras e de 120 para a entrega das obras. O valor mínimo mensal definido no edital é de R$ 32,4 mil e de R$ 3,888 milhões para o período de 120 meses de concessão. Vence a empresa que oferecer menor preço.

De acordo com a assessoria de imprensa da Infraero, o aeroporto contava com um quiosque que vendia produtos nos moldes das lojas de freeshop até 2005. A licitação só foi reaberta depois de dez meses da retomada dos voos internacionais em Viracopos com a companhia aérea TAP Portugal em julho de 2010 porque a frequência de voos era muito baixa (três por semana). Após o início das operações da companhia Pluna em dezembro, o aeroporto de Campinas passou a realizar diariamente voos internacionais, o que voltou a justificar o serviço de free shop.

O pregão presencial está marcado para às 9h da próxima segunda-feira (23), na Coordenação de Licitações da Superintendência Regional de São Paulo. O edital pode ser retirado na sede da Coordenação de Licitações da Superintendência (Rua General Pantaleão Teles, 40) ou no site da
Infraero.

Spotting Viracopos

Avião da TAM faz pouso de emergência em Salvador após ameaça de bomba


Voo para São Paulo foi interrompido após ameaça de bomba feita por um passageiro

O avião ficou no pátio do aeroporto enquanto era feita a busca pela suposta bomba
O voo 3603 da TAM saindo da cidade de Porto Seguro com destino à Guarulhos, em São Paulo, foi obrigado a executar um pouso de emergência no Aeroporto Luis Eduardo Magalhães às 18h47 desta sexta-feira (20).

Segundo informações da Infraero, o comandante do Airbus A321 da TAM emitiu sinal de ameaça de bomba para a torre de comando e recebeu a orientação de pousar imediatamente depois que um passageiro, que aparentava 45 anos, afirmou que iria explodir o avião.

A aeronave, que fazia o trajeto Porto Seguro-Salvador-Guarulhos, foi taxeada para uma área remota do aeroporto e teve todos os seus 129 passageiros retirados. A Infraero foi avisada e acionou a Polícia Federal e um grupo de elite da PM de Salvador, além de uma equipe dos bombeiros e uma junta médica local.

O homem foi detido pela Polícia Federal, e tanto a aeronave quanto as bagagens dos passageiros estão sendo revistadas. Segundo a assessoria da Infraero, o aeroporto em nenhum momento foi fechado.

Segundo comunicado oficial da TAM, a companhia decidiu apurar os fatos em conjunto com o departamento federal de segurança pública para que, após a realização da perícia e, somente com total segurança, o voo seja liberado. A TAM ainda lamentou o ocorrido e pediu desculpas aos clientes pelos transtornos causados.

Fontes: Diogo Max e Mirela Portugal (Exame.com) - Foto: Ferrnando Amorim/Agência A TARDE/ Blog Notícias sobre aviação